Doce mundo Fashion

Durante esta semana as casas apresentam peças artesanais, feitas com os materiais mais raros, as técnicas mais rebuscadas e os bordados mais poderosos, numa espécie de “show de talentos” que exibe o que de mais luxuoso e nobre elas podem criar. São coleções pra gente ver no zoom!

bola_couture
O que explica algumas peças parecerem completamente nonsense pra nós, simples mortais! Esses vestidos que chegam a custar milhões embalarão bailes reais, estrelas no Oscar e musas da Rússia, Oriente e Emirados Árabes, que atualmente absorvem mais que nenhum outro país o consumo de alto luxo.

valentino detailO mais aguardado do ano foi o coming back do controverso John Galliano pra as semanas de moda, dessa vez atuando a frente da Maison Margiela. Ao que parece o francês ainda busca um ponto de equilíbrio em uma primeira coleção que se dividiu entre o conceito da marca e a mão extravagante do estilista, nunca exatamente mesclando os dois.

unnamed-6

Até poucos anos atrás limitado a marcas francesas que seguiam rigorosos critérios na produção das peças, a alta costura se abriu a outras nacionalidades como os libaneses Ellie Saab e Zuhair Murad, a russa Ulyana Sergeenko e a italiana Armani, que em sua versão Privé completou 10 anos entre as labels mais valiosas do mundo.

saab

Entre elas também a Valentino, que apresentou um desfile romântico “açucarado” com inspiração russa, cartas de amor, flores e tons pastel, pálidos e frágeis. Mas sim, como sempre, encantadores e dignos de contos de fadas que todas nós gostaríamos de viver.

valentino

Mas são as casas francesas que dominam a cena, naturalmente, como a “instituição” Chanel, responsável como sempre pelo cenário mais inacreditável (demorou 6 meses para ser montado) e looks controversos como os dessa coleção que combinaram atitude e romance, em saias de cós super baixo e maxi aplicações de flores que pareciam ter vida própria.

chanel
Mais discreta, a francesa Dior sob comando do belga Raf Simons desfilou a coleção mais fresh da temporada, com modelagens que lembram os anos 60, recheadas de recortes ousados, mas sem perder a essência lady da marca. Pra entender melhor o espírito de alta costura, a casa disponibilizou um lindo vídeo mostrando o trabalho manual de peças que chegam a demorar 200 horas pra serem feitas:

dior

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply